como-elaborar-um-laudo-de-corte-de-arvores

Como Elaborar Laudo de Corte de Árvores

Para cada cidade uma lista de fatores e critérios devem ser avaliados.

Um dos principais serviços contratados em centros urbanos com regiões repletas de árvores e demais tipos de vegetação que são entendidas como um possível risco para o local em que estão, é o corte de árvores. Eles podem se dar por poda ou retirada total da árvore de um local. Antes mesmo de uma empresa executar o corte, é importante que ela saiba como elaborar laudo de corte de árvores.

Existem informações imprescindíveis que precisam ser levantadas pela empresa de manejo arbóreo sobre a empresa ou morador requerente, do próprio imóvel, da árvore para a qual está sendo solicitada o corte, entre outros.

Desta forma é mais do que como elaborar laudo de corte de árvores, é fazer análise e fazer do local.

Como elaborar laudo de corte de árvores: informações para execução de trabalho

Do morador ou da empresa solicitante, informações básicas como:

  • Nome
  • CPF ou CNPJ
  • Endereço
  • Telefone

Do imóvel:

  • Tipo de propriedade
  • Endereço completo com todas as observações e complementos

Informações técnicas sobre a árvore e demais tipos de vegetação:

  • Número de árvores
  • Nome popular da árvore
  • Nome científico
  • Altura
  • Condição Fitossanitária
  • Fotos coloridas do local e da árvore
  • Justificativa Técnica sendo contemplado todos os riscos para a propriedade

Deverão ser considerados, também, critérios paisagísticos, fitossanitários e de risco. Desta forma, importante avaliar se a árvore que se deseja cortar é uma espécie rara nesse ambiente, se é de uma espécie nativa da região, se está bem posicionada paisagisticamente, se tem valor afetivo para a população, se tem importância ecológica e afetiva para a população do entorno, se está plenamente saudável, se não apresenta pragas, se não apresenta quaisquer problemas de ordem estrutural, se não compromete o pleno funcionamento de serviços urbanos aéreos como fiações, placas e marquises, se não compromete o pleno funcionamento de serviços urbanos terrestres como de esgoto e saneamento básico e se ela apresenta risco de queda.

Dependendo do número de questões que forem respondidas como positivo ou negativo, cabe a cada município avaliar os critérios de acordo com a realidade ambiental, econômica, sustentável e cultural a fim, então, de concluir o laudo.

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *